Top 10 covers melhores que as canções originais

São inúmeras as canções que podem ser colocadas numa lista de melhores versões ou covers de todos os tempos.

Resolvemos brincar com o tema e listar 10 top versões que superam as criações originais, colocando como critérios a canção ter feito mais sucesso com a nova versão, ser representativa na carreira do artista que a escolheu como cover, além de ter ficado tão boa que acaba até parecendo um som original do interprete em questão.

Top 10 Covers x Originais

Sem ordem alguma, seguem os top 10 sons cujas regravações superam as versões originais:

Siouxsie Sioux e uma das encarnações dos Banshees

“Dear Prudence” original dos Beatles no Álbum Branco (1968), ganhou nova vida, e de canção obscura do quarteto de Liverpool virou um super single com os ingleses do Siouxsie and the Banshees, com direito a divertido clipe em Veneza, onde além de tudo se pode conferir o “The Cure” Robert Smith em sua derradeira passagem pelos Banshees em 1984 com o álbum Hyæna.

Beatles Limo

Mais uma dos Beatles, dessa vez um hit original já que “With a Little Help From My Friends” foi um ícone do álbum Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band cantada por Ringo. Mas é inegável que foi a versão de Joe Cocker, (que conquistou o mundo após o festival de Woodstock), que acabou se transformando na versão definitiva da canção, tanto pelo inteligente arranjo quanto pela carga emocional da interpretação de Joe Cocker.

Johnny Cash – Finger

Hurt” dos Nine Inch Nails sempre foi uma canção peculiar e cheia de força interior que ao ser coverizada no projeto de Johnny Cash – American, parceria do cantor com o mega produtor Rick Rubin, se transformou numa das interpretações mais tristes que uma composição já recebeu, conseguindo ser pungente e direta como poucas canções, além de apresentar Johnny Cash para novas gerações.

Vida Louca Vida

Com “All along the Watchtower” o guitarrista Jimi Hendrix conseguiu a proeza de dar um novo status a uma das canções políticas mais instigantes do mestre Bob Dylan, eternizando sua versão como a definitiva, tanto pelo inteligente arranjo com brilhantes intervenções de guitarras, quanto pela clareza da interpretação, que valorizou a mensagem de Dylan e a fez chegar a novos públicos e gerações.

Clapton e os exageros da estrada

Com a canção “Cocaine” o mestre Eric Clapton conseguiu um mega hit nos anos 70 e que até hoje continua sendo uma canção obrigatória apesar de ter sido exposta à mega execução nas “rádios rock” e bares roqueiros do planeta. Mas é certo que a composição de J.J.Cale se transmutou em um rock clássico de arena na interpretação de Clapton, sendo uma das peças mais desejadas e reconhecidas de seu repertório.

Sepultura buscando o mundo

Orgasmatron foi nos anos 80 um dos principais álbuns do Motorhead e que representou para a banda uma renovação de audiência, garantindo sua presença nas hordas do Trash e Speed Metal. Entretando foi a singela versão do Sepultura que catapultou a canção como hit global, fazendo tanto sucesso que não me surpreende que muitos ainda acreditem que é um som original da banda brasileira de metal.

Chico Science

Maracatu Atômico é uma sonzeira composta por Nelson Jacobina e Jorge Mautner em 1974, ganhando um registro no disco homônimo Jorge Mautner, e no álbum “Cidade de Salvador” de Gilberto Gil, chegando a frequentar as paradas de sucesso nos anos 70. Mas foi como segundo single do álbum Afrociberdelia de Chico Science e Nação Zumbi, no fim dos anos 90, que realizou seu potencial de hit com a ajuda da MTV Brasil que não parava de tocar seu incrível clipe.

Valerie” é uma canção original dos britânicos The Zutons, que fez parte do segundo álbum da banda, Tired of Hanging Around (2006) com produção de Stephen Street. Na época foi bem executada na Inglaterra e na Europa até ser regravada pelo DJ Mark Ronson e por Amy Winehouse no fim do mesmo ano, como parte do segundo álbum de estúdio de Ronson, e para a reedição do segundo trabalho de Winehouse, Back to Black (2006). E assim transmutada num R&B se tornou num dos maiores sucessos da década.

No primeiro álbum da Legião Urbana a faixa mais introspectiva e cheia de teclados com cara de cold wave inglesa era “Por Enquanto”, que acabou sendo uma das poucas canções da estréia da banda que não tocou na rádios nos anos 80, até parecia que seu destino estava mesmo ligado à cantora Cássia Eller, que reinterpretou a composição em arranjo folk para seu álbum de estréia, sendo o primeiro hit de Cássia a atingir o grande público.

Ramones

Surfin´Bird acabou se transformando num dos maiores hinos dos Ramones e num dos sons mais perfeitos para agitar uma festa punk rock, o que pouca gente sabe é que a sonzeira é na realidade uma canção dos The Trashmen, lançada originalmente em 1963 pelo grupo de Garage e Surf Rock. Mas sem dúvida alguma foi a versão de 1977 do álbum Rocket To Russia que se destacou para sempre nos anais do rock, virando um dos sons mais pungentes do nascente punk rock.

QUE CANÇÃO VOCÊ COLOCARIA NESSE TOP 10 ?

Fiquem com 10 sons originais e 10 covers que conquistaram o mundo

 

Sobre o autor(a):
Testemunha ocular e sobrevivente dos anos 80, com vasta experiência como público pagante de shows e festivais, amante dos melhores sons e estilos. Nativo Digital e idealizador do Blog Vishows. Blogueiro Ativista, Podcaster, Educador Social, Empreendedor e Profissional de Marketing e Comércio Eletrônico.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: