Histórias e Mitos que envolvem o clássico Hotel California

Capa Hotel California

Hotel California

Hotel California é muito mais que uma canção e álbum de imenso sucesso da banda Eagles, que desde seu lançamento em 1976, nunca deixou as paradas nas rádios rock de todo planeta.

Mas além do sucesso global, a canção dona de um dos melhores solos da história da guitarra e com uma letra cheia de misticismos, acabou despertando uma febre de histórias e versões sobre o significado do som e versos.

Composta por Don Felder (guitarras e voz), Glenn Frey (violão, guitarras e voz) e Don Henley (voz e bateria), ela surgiu de uma demo de Felder meio reggae, e que já pensava na combinação de duas guitarras solo, pois agora os Eagles tinham a presença de Joe Walsh como membro permanente.

O som inspirou Henley que veio com a ideia original do nome Hotel California, e começou a trabalhar na composição com seu parceiro Frey.

Provavelmente, o real significado desse rock balada, seja simplesmente uma reflexão da banda sobre o alto custo do sucesso e fama tanto almejados.

Para elucidar um pouco essa história, vamos apresentar aqui as principais teorias que rondam essa emblemática canção.

No documentário History of the Eagles (de 2013), Felder deixa claro que não se envolveu com a letra da canção, mas as versões de Frey e Henley acabam sendo um pouco diferentes.

Don Henley  (que canta o clássico), diz que as menções á igreja de satã e imagens ocultas na capa, são somente bobagens, e que não existe nada de oculto, e que “Hotel California” representa a jornada da inocência à experiência, somente isso.

Glenn Frey, ajuda a alimentar o mito, dizendo que a música tem sim um lado obscuro, mas que não precisa ser explicada, pois representa o universo de excessos da cena roqueira da Califórnia, preferindo não entrar em nenhum detalhe adicional.

Então vamos aos detalhes… afinal existe o Hotel California? Ele é um lugar real ou uma lenda? Seguem as três teorias a respeito:

  1. A primeira delas é a mais clara e verdadeira de todas, diz respeito à foto que ilustra o álbum, pois a arte da capa é a foto do Beverly Hills Hotel em Los Angeles na Califórnia, numa imagem capturada de sua lateral, não registrando sua famosa entrada.
  2. Mas uma das teorias diz que o Hotel não é na realidade um Hotel, e sim uma clínica de tratamento psiquiátrico para dependentes químicos, chamada “Camarillo State Hospital”, localizado no município de Ventura, entre Los Angeles e Santa Bárbara, e que se notabilizou pelos clientes famosos. Em um dos edifícios deste hospital construído originalmente para ser um monastério, há uma torre com o “sino das missões” religiosas da época da colonização, o que deu muito crédito a teoria, já que a música cita a frase “eu ouvi o sino da missão”…
  3. E a última delas, se refere a um pretenso mas real Hotel California , localizado na cidade de Todos Santos, na Baja Califórnia Sur no México. Ele sem muita discrição se proclama como sendo o famoso local da canção. Virou atração turística, numa improvável história de que os integrantes da banda se hospedaram e se inspiraram no belo hotel. Agora em 2017, os representantes dos Eagles processaram o hotel mexicano, alegando que lucram com a “propriedade intelectual” da banda, mesmo que o hotel tenha esse nome desde 1950. Achei sem nenhum humor o processo legal… estive no hotel em 2014, e conferi que é só uma brincadeira, pois na realidade, não há nada explicito associando o local com a canção.

Já as teorias místicas e satanistas, falam numa associação da canção como uma metáfora para o inferno, e da mesma forma que Stairway to Heaven (Led Zeppelin) seria uma composição de “adoração ao diabo”, reforçado pelos trechos da letra que falam de “tentar matar a besta” e “nós não temos este espírito aqui desde 1969”, que seria o ano de lançamento da “Bíblia Satânica” por Anton LaVey fundador da igreja de Satã (1966). Quem acredita nisso, diz que a canção é uma homenagem ao local onde Lavey teria escrito o livro.

hcinsert1

A capa interna, sugere personagens ocultos no segundo andar do prédio (a banda diz que é simplesmente uma modelo contratada), mas deu suporte a fantasias de que seriam almas torturadas e mortas pela seita satanista, mas o lado sombrio da obra fica evidente por razões mais reais, como a referência a drogas, e às agruras do vício na admissão de que não “conseguia matar a besta”… em emblemático verso da composição.

O fato é que os rumores alimentaram o mito, e Hotel California se transformou numa das canções mais tocadas em todo mundo, estando entre as 20 maiores vendagens da história dos Estados Unidos, além de ter recebido inúmeros prêmios e versões ao longo dos anos.

Fiquem com a letra da famosa canção !! Hotel California !!

On a dark desert highway,
Cool wind in my hair
Warm smell of colitas,
Rising up through the air
Up ahead in the distance,
I saw a shimmering light
My head grew heavy and my sight grew dim
I had to stop for the night

There she stood in the doorway
I heard the mission bell
And I was thinking to myself
“This could be heaven or this could be hell”
Then she lit up a candle and she showed me the way
There were voices down the corridor
I thought I heard them say

Welcome to the Hotel Califórnia
Such a lovely place
Such a lovely place
Such a lovely face
Plenty of room at the Hotel Califórnia
Any time of year
Any time of year
You can find it here

Her mind is tiffany-twisted,
She got the Mercedes-Benz
She got a lot of pretty, pretty boys,
That she calls friends
How they dance in the courtyard,
Sweet summer sweat
Some dance to remember,
Some dance to forget

So I called up the captain
“Please, bring me my wine”
He said, “We haven’t
Had that spirit here since nineteen sixty-nine”
And still those voices are calling from far away
Wake you up in the middle of the night
Just to hear them say

Welcome to the Hotel Califórnia
Such a lovely place
Such a lovely place
Such a lovely face
We’re livin’ it up at the Hotel Califórnia
What a nice surprise
What a nice surprise
Bring your alibis

Mirrors on the ceiling
The pink champagne on ice
And she said
“We are all just prisoners here,
Of our own device”
And in the master’s chambers
They gathered for the feast
They stab it with their steely knives
But they just can’t kill the beast

Last thing I remember,
I was running for the door
I had to find the passage back
To the place I was before
“Relax”, said the night man
“We are programmed to receive
You can check out any time you like
But you can never leave!”

Sobre o autor(a):
Testemunha ocular e sobrevivente dos anos 80, com vasta experiência como público pagante de shows e festivais, amante dos melhores sons e estilos. Nativo Digital e idealizador do Blog Vishows. Blogueiro Ativista, Podcaster, Educador Social, Empreendedor e Profissional de Marketing e Comércio Eletrônico.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: