As 50 melhores canções de 2020 – top sons de 2020 – melhores músicas do ano de 2020,

O ano foi mesmo difícil, mas a real é que em termos de lançamentos musicais 2020 foi o melhor ano em décadas, com uma série de bandas novas e experimentalismos diversos em todos os cantos do planeta.

Nossa lista não tem nenhuma canção repetida de um mesmo artista, critério rígido que privilegiou a presença da maior variedade possível de gêneros, não sendo considerados lançamentos ao vivo, coletâneas ou similares.

Playlist Spotify - Canções 2020 Top
Melhores músicas do ano

O processo de escolha das quase 50 canções “Top de 2020” foi divertido 😉 , criei ao longo do ano uma playlist aleatória para todo tipo de lançamento, e fui escutando sem ver o nome do artista, dando “coraçãozinho” em cada música que gostava.

Essa lista “do coraçãozinho” ficou em Nov/20 com mais de 350 canções, e à partir dela fui depurando, chegando numa segunda lista com 120 sons… e daí foi mais difícil mesmo, porque além de escutar com atenção cada composição, também me preocupei em não perder os lançamentos de Novembro e da primeira quinzena de Dezembro… até que percebi como o ano foi ótimo musicalmente.

Ficou de fora um monte de gente boa mesmo, como os nacionais Terno Rei, Tuyo, Asfixia Social, Black Pantera, Canto Cego, Sepultura, Cidade Dormitório, Ira!, Moxine, The Zasters, Vivendo do Ócio… entre outros… e no lado internacional teve muita gente que quase entrou… em especial artistas que adoro como Kate Tempest (UK), BC Camplight (US), The Homesick (NL), HMLTD (UK), Squid (UK), System of a Down (US), DZ Deathrays (AU), JARV (UK), Rina Sawayama (JP), The Big Moon (UK), Dream Wife (UK), Creeper (UK), Bob Dylan (US), Destroyer (CA), Nada Surf (US), Jehnny Beth (FR), Woods (US), Halsey (US), Enter Shikari (UK), Wire (UK), The Weeknd (CA), OOIOO (JP), Soccer Mommy (US), X (US), The Dream Syndicate (US) e muitos outros.

Mas vamos ao que interessa – As melhores canções de 2020 pelo blog Vi Shows !! Top 50 Sons de 2020 !! Top Songs 2020 !!

 

DeWolff
DeWolff

DeWolff

País / Cidade : Holanda – Limburg / Estilo: Rock Psicodélico e Blues Rock

Canção: Blood Meridian I – Site: https://www.dewolff.nu/

Desde meados de 2007, o power trio holandês se tornou uma das bandas mais legais da Europa, reconectando o blues e a psicodelia com a dose certa de inovação e experimentalismos. 

Em Tascan Tapes, os caras mandam um som melhor que outro, todo gravado de forma vintage nas velhas mesas Tascan com fitas, mas independente do método, Blood Meridian I é um dos melhores petardos sonoros do ano, evocando os anos 70 com a sabedoria de não soarem como uma cópia ou mesmo datados.

Aumente o volume mesmo para ouvir essa sonzeira no talo !!!! Super banda e grande canção !!

Sorry
Sorry

Sorry

País / Cidade : Inglaterra – Londres / Estilo: Indie Rock e Trip Hop

Canção: As the Sun Sets / Site: https://sorryband.co.uk/

O álbum de estreia 925 (2020), já colocou a banda inglesa em destaque, apostando nas influências de rock alternativo com trap e trip hop, letras inteligentes e ótima presença imagética, em especial de seus fundadores e líderes, Asha Lorenz e Louis O’Bryen, que desde a adolescência vem colaborando e criando gemas pop como Startruck (2018) e Jealous Guy (2019). 

Considero a banda perfeita para quem acompanha a cena britânica, em especial para quem curte bandas como Fat White Family e Sunflower Bean, mas que buscam artistas que aceitem arriscar mais e inovar em sua sonoridade.

As The Sun Sets” é uma gema pop de uma estranha delicadeza, vertida numa quase balada indie onírica e feita pra cantarolar junto.

No Joy
No Joy

No Joy

País / Cidade : Canada – Montreal / Estilo: Indie Rock, Dreampop e Shoegaze

Canção: Birthmark / Site: https://nojoy.bandcamp.com/

Neste ano lançaram o elogiadíssimo álbum “Motherhood”, mas estão no radar desde 2010, quando tocaram com o Best Coast e lançaram o interessante trabalho de estreia Ghost Blonde

Mas foi mesmo nesse ano de 2020 que impressionaram com uma sonoridade mais inventiva e pessoal, com o grupo agora se apresentando como o projeto solo de sua fundadora – Jasmine White-Gluz.

Em “Birthmark”, claramente apostam em criar climas e buscar texturas inovadoras, criando uma malha perfeita para expor sentimentos e experiências numa das canções mais intensas do ano.

Touché Amoré
Touché Amoré

Touché Amoré

País / Cidade : Los Angeles – Estados Unidos / Estilo: Post Hardcore, Screamo

Canção: Limelight – Site: https://www.toucheamore.com/

Nem sempre é fácil me aprofundar nos grupos dessa tendência que flerta com o screamo e até emo, mas o quinteto angelino mostra mesmo consistência e força em todas canções de Lament (2020).

O discurso do vocalista Jeremy Bolm, gira em torno dos problemas existenciais e das agruras e dificuldades de encarar a vida, mas de forma mais coesa do que nos álbuns anteriores e com uma musicalidade mais marcante, ficando fácil identificar o grupo em poucos acordes.

Limelight, vale ressaltar, é uma parceria do grupo com Andy Hull, vocalista da Manchester Orchestra, e que ajuda no clima intenso e urgente da canção.

Fontaines D.C.
Fontaines D.C.

Fontaines D.C.

País / Cidade : Dublin – Irlanda / Estilo: Post Punk, Indie, Art Punk

Canção: I Don’t Belong – Site: https://www.fontainesdc.com/

Os irlandeses chegam ao segundo álbum mostrando que o buzz da estreia foi mesmo justificado, com shows incríveis e criatividade de sobra em cada faixa do álbum “A Hero’s Death”.

Já virou uma das bandas que mais ouvi nesse ano, e confesso que para essa lista de Top 50, eles mereciam mais de uma canção, mas como não é essa a ideia, escolhi a mais cavernosa e dark de todas.

“I Don’t Belong” é mesmo angustiante, deprimente e representa muito bem o mood de não pertencimento que nos pega como ser humano de tempos em tempos.

Pungente e lírica na medida certa, talvez seja uma das poucas canções de 2020, que aprendi a cantar junto em poucas audições. 

Aumente o som e deixe o grupo de Grian Chatten (voz), Carlos O’Connell (guitarras), Conor Curley (guitarras/piano), Conor Deegan III (baixo e guitarras) e Tom Coll (bateria e guitarras), se alojar no topo de suas playlists.

Psychedelic Porn Crumpets
Psychedelic Porn Crumpets

Psychedelic Porn Crumpets

País / Cidade : Perth – Austrália / Estilo: Rock Psicodélico, Rock Progressivo, Alt Rock

Canção: The Terrors Site: http://www.psychedelicporncrumpets.com/

O quinteto, Psychedelic Porn Crumpets  liderado por Jack McEwan (voz), fez fama no Indie underground australiano, se destacando pelas performances lisérgicas e pela técnica apurada de seus músicos.

Musicalmente os caras são cada vez mais originais, tornando o grupo difícil de ser definido em qualquer rótulo.

No EP Terror (2020), adiantam muitas ideias que prometem estar presentes no próximo álbum, com lançamento previsto para março de 2021, mas enquanto isso tome seu chá de cogumelos, ou sua Pepsi Cola espacial… para escutar no volume máximo a doidera sonora de The Terrors, canção homônima, que merece atenção e na certa vai confundir os sentidos dos ouvintes mais atentos.

Cornershop
Cornershop

Cornershop

País / Cidade : Leicester – Inglaterra /Estilo: Alternative Rock, Britpop, Alternative Dance

Canção: St Marie Under Canon / Site: https://www.cornershop.com/

A presença da cultura indiana na Inglaterra é evidente em todos aspectos do dia a dia, e nisso o Cornershop ( …quando acerta 🙂 …) se mostra como a banda que melhor representa essa influência dentro do pop rock desde os anos 90, quando se destacou em meio ao britpop.

Mas fazia mesmo tempo que eu não viam sou tão bom dos caras, e na real acertaram não somente no single “St Marie Under Canon”, mas em todo inspirado álbum “England is a Garden”, que amarra uma canção na outra de forma conceitual.

O clima do álbum é de festa, com uma aura glamrock, lindos coros e um órgão Hammond matador, elementos que se combinam e colocam o single entre as melhores canções de 2020.

Protomartyr
Protomartyr

Protomartyr

País / Cidade : Detroit – Estados Unidos / Estilo: Post punk, Gothic rock, Art rock

Canção: Day Without End / Site: https://www.protomartyrband.com/

Eu venho acompanhando de perto a banda de Michigan desde 2015, quando escutei “The Agent Intellect”, álbum que deu muito destaque ao grupo e apresentou suas credenciais a um universo mais amplo do que a seara gótica.

Sinto que finalmente a interessante mistura de pós punk e rock gótico, ficou mais contemporânea e com a pegada necessária para pegar os ouvintes com a sensação de urgência de sons como o single “Day Without End”, lírico e lúgubre na medida exata.

A canção é mesmo angustiante e recomendada somente para quem está forte o suficiente para poder cantar junto com Joe Casey (voz), versos como: “Dull Ache, Turned Sharp. Short Breath, Never Caught” / “Dor maçante, afiada. Respiração curta, Nunca pega”… tudo num mantra insano e repleto de emoções.

Sasami
Sasami

Sasami

País / Cidade : Los Angeles – Estados Unidos / Estilo: Indie, Art Rock

Canção: Mess / Site: https://sasamiashworth.com/

A talentosa cantora californiana de ascendência oriental, já vinha causando há algum tempo na cena de Los Angeles, participando de diversas bandas e projetos inclusive sinfônicos, tendo seu nome ventilado por muita gente conhecida.

Em 2019 a cantora lançou um incensado álbum homônimo de debut, mostrando que seu tempo estava mesmo chegando, se apresentando junto com bandas como Snail Mail, Soccer Mommy e Japanese Breakfast.

Nesse ano lançou alguns ótimos singles, destacando “Mess”, que tem uma levada que lembra muito “Under My Thumb” dos Stones, mas que vai crescendo a cada audição, com a cantora deixando qualquer comparação pra trás, mandando ver num pop inteligente e que tem tudo para conquistar diferentes tribos.

Sports Team
Sports Team

Sports Team

País / Cidade : Cambridge  – Inglaterra / Estilo: Alternative Rock, Indie

Canção: Camel Crew / Site: https://www.sportsteamband.com/

O sexteto formado na Universidade de Cambridge, e agora estabelecido em Londres, usou a velha estratégia de detonar bandas novatas queridinhas da mídia local para conseguir mais destaque, o que deu certo e em pouco tempo já estavam com shows lotados mesmo antes de lançar oficialmente suas canções.

“Camel Crew” é um daqueles sons que te fisgam pra valer na primeira audição, com um super clima de festa de rock, sem inovar em nada, mas seguramente divertindo todos que a escutam como poucos sons de 2020.

Phoebe Bridgers
Phoebe Bridgers

Phoebe Bridgers

País / Cidade : Pasadena – Estados Unidos / Estilo: Indie, Folk, Dreampop

Canção: Kyoto – Site: https://phoebefuckingbridgers.com/

Phoebe Bridgers chegou detonando em 2020 como artista solo, mas não é mesmo uma novata, já tendo participado dos projetos “boygenius” (com Julien Baker e Lucy Dacus) e do super grupo Better Oblivion Community Center (com Conor Oberst).

A cantora e compositora lançou em junho seu segundo trabalho solo – Punisher, sendo de cara elogiado pela imprensa, destacando o single “Kyoto”, canção pessoal e que fala do difícil relacionamento com seu pai, e que foi composta em sua primeira viagem ao Japão.

O clima de sonho é perfeito na canção, mas também é evidente a intensidade com que a letra expressa sensações e sentimentos. 

Georgia
Georgia

Georgia

País / Cidade : Londres – Inglaterra / Estilo: Synth Pop, Electropop

Canção: About Work the dancefloor / Site: https://georgiauk.com/

A novata cantora londrina está concorrendo ao Mercury Prize 2020 com seu álbum “Seeking Thrills”, onde aposta com tudo numa sonoridade certeira para as pistas de dança, com canções influenciadas pelo melhor do tecnopop oitentista, mas sem nunca soar como um tributo, ou simples releitura.

Em “About Work the Dancefloor”, é impossível não querer chacoalhar junto, mérito tanto da ótima produção quanto da canção em si, que mostra força independente do arranjo ou estilo dançante, provando que o que vale mesmo é ter boas canções no repertório. 

Se ainda não escutou, ouça no máximo e se prepare para dançar muito onde quer que você esteja 😉

Doves
Doves

Doves

País / Cidade : Manchester – Inglaterra / Estilo: Pop Rock, Britpop

Canção: Prisoners / Site: https://dovesofficial.com/

Confesso que eu me surpreendi muito com essa música do Doves, é um daqueles pop rock perfeitos, onde letra, melodia e batida se combinam de forma única.

Confiram os versos:  “Hello, old friend, It’s been a while – It’s me again, We’re prisoners of these times – But it won’t be for long”

Olá velho amigo, Faz algum tempo – Sou eu novamente. Somos prisioneiros desses tempos, Mas não será por muito tempo”

É muito bom ver o combo de Manchester voltando aos bons tempos, com uma série de canções fortes e diretas!! Confiram a letra de Prisoners na íntegra, que vale mesmo a pena 🙂 

Pearl Jam
Pearl Jam

Pearl Jam

País / Cidade : Seattle – Estados Unidos / Estilo: Rock, Rock Alternativo, Grunge

Canção: Dance of Clairvoyants / Site: https://pearljam.com/

O Pearl Jam vem se consolidando como o principal sobrevivente da geração dos anos 90, se destacando tanto pela longevidade quanto pela força de suas composições ao longo das décadas.

Em Gigaton (2020) conseguiram voltar a ser relevantes depois de um grande hiato criativo, sendo sem dúvida o melhor álbum da banda em anos e anos.

É até difícil escolher uma canção somente para a lista, eu tinha pré-selecionado mais de três músicas do disco, mas “Dance of Clairvoyants”, é a sonzeira mais premonitória dessa época atual que vivemos.

Vida longa ao Pearl Jam !!

Burna Boy
Burna Boy

Burna Boy

País / Cidade : Lagos – Nigéria / Estilo: Afropop, Pop, Dancehall

Canção: Onyeka (Baby) / Site: https://www.instagram.com/burnaboygram/

Burna Boy é a grande estrela da música pop da Nigéria e de toda África na atualidade, veio em 2020 com o inspiradíssimo “Twice as Tall”, álbum na medida exata para suceder o sucesso de African Giant (2019) que o projetou em todo mundo.

Em “Onyeka (Baby)” – o músico combina o afropop com dancehall e pitadas reggae, para fazer uma composição pop original e que leva todos a se balançarem como nunca… sonzeira que deve influenciar o mundo todo, e ajudar a destacar novos artistas africanos.

Disq
Disq

Disq

País / Cidade : Madison – Estados Unidos / Estilo: Indie Rock, Post Punk

Canção: Daily Routine / Site: https://www.facebook.com/thisisdisq/

O quinteto americano acerta em cheio em seu álbum Collector (2020), apostando num rock direto repleto de influências clássicas como The Fall e bandas mais atuais como Viagra Boys e Shame.

O single Daily Routine, mostra os caras acertando em cheio, numa espécie de hino de nossa era de confinamento social, que além da divertida letra, pois consegue ser um daqueles rockões marcantes que conquistam novos adeptos a cada batida.

Idles
Idles

Idles

País / Cidade : Bristol – Inglaterra / Estilo: Punk, Post Punk, Garage Rock

Canção: War / Site: https://www.idlesband.com/uk

Guerra, destruição, caos, desordem social, tudo isso é mais do que explorado ao máximo pelo Idles.

Ultra Mono é direto como um soco na boca do estômago, álbum com umas 4 ou 5 canções memoráveis, mas entre todas elas WAR é o destaque inevitável. Em seu terceiro álbum, os Idles mostram que são mesmo uma grandes bandas dessa era !! Ouçam no volume máximo e mande o dedo do meio na hora se alguém reclamar !! 

O punk está mais vivo do que nunca, justo agora em que a música volta com tudo a conviver com a política, denunciando o caos e a manipulação midiática e informacional dessa era. 

Best Coast
Best Coast

Best Coast

País / Cidade : Los Angeles – Estados Unidos / Estilo: Indie, Dreampop, Rock Alternativo, Powerpop

Canção: Everything has changed / Site: https://bestcoast.net/

Quem acompanha nossas listas Top seguramente já se deparou com a presença do combo californiano Best Coast, banda que consegue ser roqueira na medida e impregnar cada canção com um clima de sonho sem forçação indie fake, se fiando na qualidade das composições da dupla Bethany Cosentino e Bobb Bruno.

Nesse sentido era quase certo que algum som de Always Tomorrow (2020) estaria presente entre os melhores sons de 2020, mas mesmo não sendo meu álbum preferido da banda, “Everything has Changed” mostra que a fórmula de guitarras básicas e linhas melódicas diretas e dançantes os mantém no topo como uma das melhores formações do pop rock da atualidade.

Hora de cair de cabeça e aproveitar a cara de verão eterno que essa sonzeira inspira.

Trail of Dead
Trail of Dead

 … and you will know us by the trail of dead (Trail of Dead)

País / Cidade : Austin – Estados Unidos / Estilo: Rock Alternativo, Post Hardcore, Rock

Canção: Don´t look down / Site: https://www.trailofdead.com/

O rock alternativo dos texanos “Trail of Dead” volta aos seus melhores momentos no álbum “X: The Godless Void and Other Stories”, se apresentando renovados e líricos nas doses exatas.

Eu gosto do disco como um todo, certamente um dos melhores do ano, mas não tem como negar que “Don´t look down” é um dos pontos altos do play, com lindo arranjo de guitarras e uma letra forte que tenta exorcizar amores passados, com uma mensagem positiva e inspirada de seus principais compositores, Jason Reece e Conrad Keely.

Puta canção e letra linda !! Saquem só: 

I have another set of eyes (Eu tenho outro par de olhos)

I use to disguise the part of me that’s died (Eu costumo disfarçar a parte de mim que morreu)

I have another set of lives (Eu tenho outro conjunto de vidas)

I use to describe the part that’s still alive (Eu uso para descrever a parte que ainda está viva)”

 

Shabaka and The Ancestors
Shabaka and The Ancestors

Shabaka and the Ancestors

País / Cidade : Londres – Inglaterra / Estilo: Post Jazz, Afro Pop Jazz

Canção: The coming of the strange ones / Site: https://shabakaandtheancestors.bandcamp.com/

Shabaka Hutchings é um saxofonista inglês de origem caribenha, que atualmente é uma das grandes forças da cena jazzística britânica, com diversos projetos paralelos, entre eles o genial Shabaka and the Ancestors, que congrega um jazz pop futurista calcado na tradição da música africana, representada na banda majoritariamente sul africana que serve de base para as canções da banda.

We Are Sent Here by History, é o segundo álbum do grupo, que como uma cápsula sônica atemporal conecta diversas tradições da diáspora africana através da herança afro-caribenha de Hutchings

As canções são virtuosas e ao mesmo tempo primitivas, e nesse sentido “The coming of the strange ones” é a melhor cartada do grupo, causando a estranheza necessária para absorver a força da proposta do grupo. 

O futuro da música passa por essa abordagem experimental, e se a arte tem como base a busca de novos caminhos, podemos dizer que Shabaka está no caminho certo nesse grande trabalho de 2020. 

Porridge Radio
Porridge Radio

Porridge Radio

País / Cidade : Brighton – Inglaterra / Estilo: Indie, Pop Rock, Post Punk

Canção: Give / Take / Site: https://porridgeradio.com/

Entre os grupos mais novos, a banda liderada pela vocalista e guitarrista Dana Margolin talvez seja a que mais me impressionou em 2020, a ponto de não saber qual das canções escolher para a playlist.

O rock alternativo do quarteto de Brighton é impecável em todos registros de Every Bad (2020), mas entre tantas pérolas escolhi “Give / Take”, tanto pela magistral interpretação vocal quanto pela produção impecável, que equilibra todos elementos e cria o clima para amar cada segundo dessa gema.

Vale a pena aumentar o som pra valer em todas canções do Porridge Radio !! 

Sault
Sault

SAULT

País / Cidade : Inglaterra / Estilo: Pop, Rap, Soul, R&B, Pop Rock

Canção: Wildfires / Site: https://www.sault.global/

A genialidade do combo inglês SAULT não está somente em apostar contra a tendência da superexposição midiática e sim na precisão pop de cada lançamento que fazem, apresentando letras certeiras e batidas que cativam públicos diversos.

Não se conhece exatamente seus integrantes, e sua presença nos meios digitais não agrega nenhuma informação útil, a não ser os links para se escutar ou comprar os álbuns e ep ‘s do grupo.

A estratégia parece ter como objetivo que o foco fique somente na música, sem nenhuma imagem pública da banda… mas independente disso, o grupo acerta em cheio em sua mistura Pop de Rap, Soul e R&B, carregados de mensagens políticas como na ótima “Wildfires”, escolhida para representar a banda nessa playlist.

Somente neste ano, o SAULT soltou 2 álbuns completos, “Black is…” e “Rising”, acertando em cheio no método e na mensagem. 

Sem dúvida uma das grandes e melhores novidades de 2020.

Rolling Blackouts Coastal Fever
Rolling Blackouts Coastal Fever

Rolling Blackouts Coastal Fever

País / Cidade : Melbourne – Australia / Estilo: Indie, Pop Rock

Canção: Cameo / Site: http://www.rollingblackoutsband.com/

Será que estamos diante de uma nova invasão do rock australiano? Acho que sim, pois desde 2018 noto cada vez mais ótimos grupos novos chegando de nossos longínquos vizinhos de hemisfério sul, e entre diversas bandas o Rolling Blackouts Coastal Fever é mesmo um dos meus preferidos.

“Cameo” tem uma melodia incrível, fácil de cantar junto e ótimo cartão de visitas para a banda liderada pelos primos Fran Keaney e Joe White, que com o amigo de longa data Tom Russo, dividem vocais e composições no ótimo álbum “Sideways to New Italy” (2020).

Definitivamente o grupo está dentro do radar do blog para essa nova década 🙂

King Krule
King Krule

King Krule

País / Cidade : Londres – Inglaterra / Estilo: Jazz fusion, Post punk, Hip Hop, Electronic, Indie

Canção: Cellular / Site: https://kingkrule.net/

King Krule é a persona artística do inglês Archy Ivan Marshall, que com somente 25 anos já ocupa um lugar de destaque na cena como produtor, cantor, compositor e rapper, em especial após singles de destaque e o ótimo álbum “The Ooz” (2017).

O bardo reapareceu em 2020 com o ótimo “Man Alive!”, consolidando seu crossover de jazz punk, darkwave e trip hop, em super sonzeiras como a viajandona “Cellular” que aposta num clima urgente que ajuda a destacar o beat e a qualidade dos versos da canção.

Sempre aparece com as pedradas certas 😉 como não pirar e embarcar junto com Mr.Krule na batida e psicodelia desse som !!

Lianne La Havas
Lianne La Havas

Banda: Lianne La Hava 

País / Cidade : Londres – Inglaterra / Estilo: Indie folk, Neo soul, Soul

Canção: Please don´t make me cry / Site: https://www.liannelahavas.com/

A cantora, compositora e produtora inglesa Lianne La Havas, lançou seu terceiro álbum de estúdio autointitulado no meio do ano, mostrando que seu objetivo para 2020 não era modesto, investindo em canções apaixonadas e que iluminam amores e todas inseguranças da existência com muita inspiração e uma voz mais do que perfeita.

Entre diversas grandes canções, escolhemos “Please don´t make me cry” pelo clima soul cheio de emoção, e que num arranjo elaborado consegue nos transportar longe na batida e groove certeiro.

Thundercat

Thundercat

País / Cidade : Los Angeles – Estados Unidos / Estilo: Funk, R&B, Soul, Jazz, Crossover JazzPop

Canção: Black Qualls / Site: http://www.brainfeedersite.com/

Thundercat é um dos maiores baixistas que já vi ao vivo, e em seu trabalho solo o cara flerta com as melhores influências do jazz e da soul music setentista, tentando imprimir um tom contemporâneo nos efeitos e arranjos.

Sinto que quando emula a melhor fase de Stevie Wonder tem seus melhores momentos, e em “Black Qualls”, se une a Steve Lacy e Steve Arrington, num balanço pop sem igual, e que aposta no alto índice de dançabilidade sem perder a aura experimental e vanguardista que o cerca.

Beatrice Dillon
Beatrice Dillon

Beatrice Dillon

País / Cidade : Londres – Inglaterra / Estilo: Electronica, Art Pop, Vanguarda

Canção: Workaround Two / Site: https://beatricedillon.bandcamp.com/album/workaround

Uma das compositoras mais interessantes e difíceis de se definir é a inglesa Beatrice Dillon, que fica à vontade em diversos ambientes artísticos, sendo figura carimbada em instalações multimídias diversas, interagindo com artes plásticas, se apresentando como DJ ou colaborando com artistas alternativos como Hessle Audio, Boomkat Editions, PAN e Trilogy Tapes.

“Workaround Two” é uma experiência eletroacústica, que apesar da aparência robotizada bebe direto no jazz e em influências orgânicas, para construir camada por camada uma viagem sensorial intrincada e de extremo bom gosto.

Quando percebi estava escutando o álbum no repeat o dia inteiro, e a cada audição era possível notar novas ideias e timbres em todo trabalho atual da artista.

Sneaks
Sneaks

Sneaks

País / Cidade : Washington DC – Estados Unidos

Estilo: Post-punk, Eletronica, Spoken word

Canção: Sanity / Site: https://sneaks.bandcamp.com/

O hip hop minimalista e pós punk da Sneaks contagia o blog desde que descobrimos o grupo em 2019 com o ótimo Highway Hypnosis (2019), e com grande expectativa ouvi sem parar o álbum sucessor, Happy Birthday (2020).

Sábia decisão! O play não tem a mesma pegada minimalista do anterior, mas mantém em alta combustão cada faixa, apostando num electro pop intenso e que destaca as sempre ótimas letras de Eva Moolchan, alma criativa responsável por 100% do projeto. 

Sanity em seus seis minutinhos mostra a força de um incêndio primordial, lento, denso e que entre rimas faladas e ótimos versos (“I need some time for my vanity”/“Eu preciso de um tempo para minha vaidade”), colocam a Sneaks como referência obrigatória desses tempos.

Jeff Rosenstock

Jeff Rosenstock

País / Cidade : Long Island – Estados Unidos / Estilo: Punk Rock, Indie Rock, Ska Punk, Post-Hardcore, Hardcore Punk

Canção: The beauty of breathing / Site: https://twitter.com/jeffrosenstock

Com origem no universo do punk rock e sem nunca perder a referência do DIY (Faça você mesmo), o norte-americano Jeff Rosenstock se mantém em alta em mais um trabalho solo.

“No Dream” é o quarto álbum solo do cantor, compositor e ativista, que dedicou 10% dos rendimentos das vendas digitais como doação à instituição de caridade Food Not Bombs.

“The beauty of breathing” representa bem o disco, numa levada divertida e ao mesmo tempo turbulenta, evidenciando preocupações existenciais numa explosão absoluta de experiências, que miram o futuro incerto com um belo espírito coletivo, marca de Rosenstock em toda carreira.

Bessie Turner
Bessie Turner

Bessie Turner

País / Cidade : Suffolk – Inglaterra / Estilo: Indie Pop, Folk

Canção: Stones / Site: https://www.bessieturner.com/

Bessie Turner conquistou muitos fãs em 2020 com o single “Donkey”, entre eles esse blogueiro atarefado, mas quando fui procurar outras canções da novata artista me deparei com “Stones”, sonzeira que me balançou por ser tão singela e perfeitinha, revelando uma leveza e ingenuidade sempre necessária nesse planetinha.

É uma das queridinhas da BBC em sua série Introducing Stage, abrindo espaço para se apresentar em diversos grandes festivais nos últimos anos, aumentando ainda mais a expectativa para seu primeiro álbum de inéditas. 

Kate NV
Kate NV

Kate NV

País / Cidade : Kazan – Russia / Estilo: Indie Pop, Art Pop, Alternative, Experimental

Canção: Plans / Site: https://katenv.com/

O artpop da cantora russa Kate NV é contagiante, multifacetado e com as doses certas de experimentações, fazendo de seu álbum “Room for the Moon” um raro hit que venceu as barreiras do idioma.

A cantora e compositora baseada em Moscou, se destacou no combo pós punk Glintshake, mas como solista foi muito além, abusando de eletronices diversas e apostando na qualidade de suas composições, entrando no páreo do pop global com identidade própria.

Em “Plans” se mostra por inteiro, abusando da repetição de um groove chiclete para emular um pop sofisticado que remete aos melhores momentos de Kate Bush ou mesmo da sempre performática Laurie Anderson.

The Orielles
The Orielles

The Orielles

País / Cidade : Halifax – Inglaterra / Estilo: Indie, DreamPop, Space Rock

Canção: Come down on Jupiter / Site: https://theorielles.co.uk

O indie pop dos Orielles é cheio de personalidade, se diferenciando em especial pelas melodias intrincadas e uma pegada dançante que lembra toda uma cena baggy indie que bombou no início dos 90´s.

No ótimo álbum “Disco Volador” (2020) o trio se esmera em cada faixa, conseguindo uma combinação perfeita de canções dançantes e cheias de groove e boas ideias vocais, e entre todas as faixas a pulsante “Come down on Jupiter” é a que tem não somente o melhor astral, mas a que encampa melhor o espírito da banda.  

Iceage
Iceage

Iceage

País / Cidade : Copenhague – Dinamarca / Estilo: Post punk, Art punk, Alternative, Post hardcore

Canção: Lockdown Blues / Site: http://iceagecopenhagen.eu/

O quinteto dinamarquês é uma das bandas mais legais do planeta, e nesse ano, logo no início da pandemia veio com o single “Lockdown Blues”, super sonzeira que com vídeo incrível, mostra um rolê na metrópole londrina vazia em pleno isolamento.

Para quem ainda não conhece o Iceage…. fica a dica, em 2018 os caras lançaram um dos álbuns mais legais do ano – “Beyondless”, entrando na seleta lista do blog de bandas cuja  audição de cada lançamento acaba por ser obrigatória, nos permitindo conferir esse single de 2020 logo em seu lançamento. #FicaDica

Caroline Rose
Caroline Rose

Caroline Rose

País / Cidade : Long Island – Estados Unidos / Estilo: Pop, Dance, Eletrônico

Canção: Feel the way I want  / Site: https://www.carolinerosemusic.com/

Tem horas que o Vi Shows cai com tudo no pop, mas nunca é qualquer pop, afinal é muito raro que o pop mainstream diluidor da atualidade realmente me chame a atenção, mas 2020 estranhamente foi um ano com… cada puta hit com cara de pista de dança… e justamente nessa vibe que conheci a cantora da costa leste – Caroline Rose, que lançou nesse ano o ótimo álbum “Superstar”.

Mas é mesmo o single “Feel the way I want” que acaba brilhando mais forte entre todas canções do disco, afinal as escolhas harmônicas e melódicas do single garantem o clima de festa e liberdade proposta por Caroline Rose nessa festa insana e meio apocalíptica de 2020.

Fiona Apple
Fiona Apple

Fiona Apple

País / Cidade : Nova Iorque – Estados Unidos / Estilo: Pop, Art Pop

Canção: Cosmonauts  / Site: https://www.facebook.com/fionaapple/

Fiona Apple pegou pesado em 2020 lançando o celebrado “Fetch the Bolt Cutters”, primeiro trabalho de inéditas desde 2012, e que mostra a nova iorquina em grande fase como intérprete e compositora.

As batidas, teclados e pianos do álbum se harmonizam de forma perfeita com as experiências rítmicas e com o clima industrial de todo o trabalho, buscando saídas criativas para a estrutura de cada canção, além de vocalizes ambiciosos e que soam como mais um instrumento, em especial em sonzeiras como a nossa escolhida “Cosmonauts”.

Fiona brilha com toda grandeza em Cosmonauts, reforçando sua presença como uma das compositoras mais importantes e consagradas das últimas décadas, e que mostra maturidade e inventividade nessa nova fase de sua carreira.

Tame Impala
Tame Impala

Tame Impala

País / Cidade : Perth – Australia / Estilo: Pop, Neo Psicodelia

Canção: Is it True  / Site: https://official.tameimpala.com/

Desde 2010, o Tame Impala, grupo liderado pelo multi instrumentista Kevin Parker, vem chamando a atenção com sua ambiciosa busca por novos caminhos no pop psicodélico, conseguindo em pouco tempo uma audiência 100% apaixonada em todos cantos do planeta.

Podemos dizer que entre os grupos atuais, talvez seja o que conseguiu maior destaque, tocando em todos grandes festivais e passando a ser uma enorme referência para uma centena de bandas.

O hype é tão gigante que até fugi de entrar na onda de adulação ao grupo australiano (mais um down under…), mas tente não ficar empolgado e querendo se mexer com a sonzeira de “Is it True?”, que além de um groove brutal, consegue criar um clima de road trip espetacular, numa das canções mais cinéticas que escutei nesse milênio. Que fueda !!

Grimes
Grimes

Grimes

País / Cidade : Vancouver – Canada / Estilo: Art pop, Electronico, Synth-pop, Dreampop

Canção: You ´ ll miss me when I´m not around  – Site: https://www.instagram.com/grimes/

Claire Elise Boucher é a persona por trás do Grimes, projeto pop repleto de elementos eletrônicos e que vem criando um verdadeiro culto pós adolescente nos últimos anos, mas confesso que nunca levei muito à sério a abordagem synth-pop repleta de misticismos dream pop e rimas hip hop de suas canções, até me deparar com “Miss Anthropocene” (2020), repleto de pérolas como “You’ll miss me when I’m not around”.

O aspecto visual é muito elaborado e sem dúvida faz parte do pacote do Grimes, mas eu me apaixonei mesmo pelo som, adoro os efeitos nos vocais e toda a intensidade que o beat desse single traz consigo.

AC/DC
AC/DC

AC/DC

País / Cidade : Sydney – Australia / Estilo: Rock, Blues Rock, Heavy Metal, Hard Rock

Canção: Kick When You Down  / Site: https://pwrup.acdc.com/

Juro que quase não ouvi o novo álbum do mito australiano do rock, mas foi impossível ignorar a presença massiva do grupo no universo digital e quando dei play gostei na hora, não tem uma única música ruim no álbum.

Acho que o blues rock dos caras chegou em 2020 esbanjando vitalidade, com riffs nervosos e inspirados, mas foi quando cheguei em “Kick When You Down” que senti a velha força motriz da banda, e em momentos assim, o AC/DC se apresenta na cena para ocupar o espaço que merecem no rock e que o rock merece na seara musical.

Sonzeira nova e boa do AC/DC – aumenta o som galera !!

Carne Doce
Carne Doce

Carne Doce

País / Cidade : Goiânia – Brasil / Estilo: Indie Br, World Music, PopRock

Canção: Temporal / Site: https://www.instagram.com/carnedoce/

A banda de Goiânia é a peça de resistência do pop nacional nessa playlist, mas garanto que não chegou aqui por nenhum critério que não seja a força das próprias composições, e como “Temporal” é tão bem construída, cantada e interpretada, ficou mesmo impossível não notá-la e valorizá-la na medida certa.

O álbum “Interior” (2020) é muito bom, com ótimas canções como “Passarin”, “Saudade”, “A Caçada” e “Hater”, mas é a interpretação sensacional de Salma Jô para “Temporal” é que dá o devido destaque e garante ao Carne Doce a participação na playlist de melhores canções de 2020.

Drive by truckers
Drive by truckers

Drive by Truckers

País / Cidade : Athens (GA) – Estados Unidos / Estilo: Alt.Country, Folk Rock,Southern Rock

Canção: Thoughts and Prayers / Site: https://www.drivebytruckers.com/

A cidade de Athens na Georgia já nos brindou com bandas como REM, The B-52´s e mais recentemente Of Montreal e claro o Drive by Truckers, que se diferencia das citadas pela sua pegada mais orientada para o rock sulista, sem desprezar toda influência folk e do rock alternativo da cenal alternativa local.

O vídeo da canção é ótimo, mostrando secundaristas em protestos diversos nos Estados Unidos, com versos ótimos e expressões como “Lockdown Generation” que já tem lugar reservado na história recente.

Gloria, aleluia !! Você está em nossos pensamentos e nossas preces 🙂 – Thoughts and Prayers é uma balada alt-country de esperança e que merece levar o grupo para as mais diversas audiências. 

Kelly Lee Owens
Kelly Lee Owens

Kelly Lee Owens

País / Cidade : Flintshire – País de Gales  / Estilo: Eletrônico, Art Pop, Experimental

Canção: Jeanette  – Site: https://www.kellyleeowens.com/

Renovar a música eletrônica é uma tarefa desafiadora e fazer isso com consistência é a vibe de Kelly Lee Owens, que vem se mostrando pronta para encarar o mundo nos diversos projetos e colaborações que já realizou, ganhando destaque em 2017 com o álbum “Spaces” que a colocou no circuito, abrindo espaço para compor com St. Vincent, Björk e John Cale no seu mais recente trabalho Inner Song (2020).

Em “Jeanette” conseguimos ver o perfeito equilíbrio entre o minimalismo ambient da faixa e sua transição instrumental para o big beat dançante, sem o uso de fórmulas e programações prontas, dando vida e tornando a canção uma peça instrumental sofisticada e emotiva.

Recomendo a audição do álbum como um todo, ótimo tônico sonoro para ativar todas percepções de nossos corpos sensoriais. 

Jyoti
Jyoti

Jyoti

País / Cidade : Los Angeles – Estados Unidos / Estilo: Jazz, Art Pop, Experimental

Canção: Mama, You Can Bet!  / Site: https://en.wikipedia.org/wiki/Georgia_Anne_Muldrow

Georgia Anne Muldrow brilha com sua alcunha “Jyoti” em sua intrincada experiência pop, onde o jazz é pedra fundamental, nos brindando com melodias e harmonias desafiadoras em cada canção, mas é em “Mama, You Can Bet!” que se percebe claramente o tamanho do talento da instrumentista, cantora e compositora. 

Nascida numa família de músicos, Georgia sempre achou normal a busca de novos territórios, e com base nesse background, desenvolveu uma carreira sólida, com diversos álbuns e colaborações com Madlib, Akebulan Five, Dudley Perkins), DJ Romes e muitos outros.

O mais legal desse som é que as fronteiras entre os estilos que emula são tão tênues que essa troca acaba dando personalidade e uma identidade particular a todo trampo atual de Jyoti

Perfume Genius
Perfume Genius

Perfume Genius

País / Cidade : Los Angeles – Estados Unidos / Estilo: Indie pop, Folk, Art pop

Canção: On the floor / Site: https://twitter.com/perfumegenius

Eu venho escutando o grupo há alguns anos, e normalmente desistia no meio do caminho, frustrado comigo mesmo pela falta de paciência em mergulhar nas canções e no universo particular Michael Alden Hadreas (aka Perfume Genius).

Estranhamente isso não aconteceu com “Set My Heart on Fire Immediately”, quinto trabalho de estúdio e celebrado como o melhor álbum do músico. 

Em “On the Floor” o segredo para essa consagração de público e crítica parece meio óbvia, pois toda complexidade do Perfume Genius foi concentrada em criar as mais perfeitas e essenciais canções pop do ano, juntando elementos pop, barrocos, funk, R&B, doo-wop e tudo que foi necessário para criar cada camada da canção. 

Pigsx7
Pigsx7

Pigs Pigs Pigs Pigs Pigs Pigs Pigs

País / Cidade : Newcastle Upon Tyne – Inglaterra / Estilo: Post Heavy Metal, Post Punk, Anarco Metal Punk

Canção: Reducer / Site: https://pigspigspigspigspigspigspigs.bandcamp.com/

Eu quero é rock !! Então toma !! Pigs 7x é o canal !! Um metal alternativo insano, que aposta mais no peso e intensidade do que na velocidade ou em técnica musical, mas com a enorme facilidade em dar um tom épico para cada canção.

Em “Reducer” parece que o Black Sabbath foi sodomizado pelo próprio capeta, e que o inferno não é tão ruim assim, mas a real é que o álbum “Viscerals” (2020) tem todos elementos para exorcizarmos os demônios de 2020 com classe anarco punk metálica como somente o Pigs Pigs Pigs Pigs Pigs Pigs Pigs consegue atualmente fazer.

Estou querendo muito ver esses malucos ao vivo !! Que venham assim que possível !!! 

drug store romeos
drug store romeos

Drugstore Romeos

País / Cidade : Hampshire  – Inglaterra / Estilo: Pop, Eletrônico

Canção: Frame of Reference / Site: https://twitter.com/DrugStoreRomeos

Meu deus !! Eu amo essa musica do Drug Store Romeos, grupo que parece ainda estar na adolescência, mas que consegue ser brilhante no pop oitentista de “Frame of Reference”, se for uma banda daquelas “one hit wonder” não tem problema algum, mas eu não duvidaria mesmo que o trio inglês volte num futuro próximo para nossas super listas de melhores sons.

Me lembrei de New Order de cara, até porque a canção tem todo um clima retro e uma linha de baixo clássica, que poderia ser da lavra de Peter Hook ou até mesmo do iluminado Simon Gallup (The Cure), mas o segredo mesmo é que a canção exala frescor e sensibilidade além de uma interpretação brilhante nos seus pouco mais de 2,5 minutos de duração.

Eu já amo essa banda #fact

Soccer 96
Soccer 96

Soccer 96

País / Cidade : Londres – Inglaterra / Estilo: Eletrônico, Post Punk, Electropunk

Canção: I was gonna fight fascism / Site: https://soccer96.bandcamp.com/

A dupla londrina Soccer 96 não se furta em ser direta e reta na sonoridade e na mensagem do single “I was gonna fight fascism”, sonzeira mais do que necessária para que as novas gerações se liguem o quanto antes dos perigos totalitários de nossa era digital.

Mas muito mais do que a rigidez estética e política me chamou a atenção o clima livre de seus shows performáticos e a liberdade de usar uma base hipnótica cheia de crescendos e intervenções de teclados e sax insanas, soando como um electro Stooges do século 21.

Indochine + Christine and the Queens
Indochine + Christine and the Queens

Indochine + Christine and the Queens

País /Cidade : Paris – França / Estilo: Pop, Electropop, Post Punk

Canção: 3Sex / Site: https://indo.fr/

O Indochine é um dos principais grupos do pop rock francês e que vem se mantendo em alta na Europa na última década com álbuns instigantes e que ajudaram na renovação de sua audiência oitentista original, e justamente nesse sentido, a parceria com a estrela emergente Christine and the Queens, cantora francesa que vem brilhando em inglês e francês desde o ótimo disco Chris (2018), é uma super acerto para ambos artistas.

Em “3Sex” a parceria mostra força, com uma batida synth-pop que traz versos em francês que discutem os papéis de gênero sem preconceitos, falando sobre meninos mais femininos e garotas mais masculinas, reforçando identidades e repudiando críticas e a ignorância generalizada dos detratores.

“3Sex” é um hino dançante de liberdade sexual e comportamental, e que chega em perfeito timing nesse louco início dos novos e loucos anos 20. 

King Gizzard and the Lizard King
King Gizzard and the Lizard King

King Gizzard and the Lizard King

País / Cidade : Melbourne – Australia / Estilo: Alternative, Post Punk, Pós Rock, Experimental

Canção: Automation / Site: https://kinggizzardandthelizardwizard.com/

O grupo australiano é um dos melhores combos roqueiros da atualidade, digerindo com muita criatividade as doses exatas de experimentalismo pós punk de cada canção e se aventurando em ritmos e harmonias sem nenhum medo, mostrando novos caminhos para o bom e velho rock and roll.

Sem fórmulas prontas, lançaram neste ano o álbum “K.G.” (subtitulado “Explorações em afinações microtonais – Volume 2), décimo sexto trabalho de estúdio da prolífica banda, e que novamente se aventuram forte na busca de timbres, afinações e sonoridades inovadoras.

O álbum é brilhante, buscando um caminho bem mais psicodélico do que o anterior 

“Infest the Rats’ Nest” (2019), que investiu num peso e urgência quase “thrash metal”, se dedicando dessa vez na busca de climas e ritmos instigantes, onde o single “Automation” se destaca pela variação rítmica e pela influência oriental, numa das melhores sonzeiras de 2020.

The Districts
The Districts

The Districts

País / Cidade : Pennsylvania – Estados Unidos / Estilo: Indie rock, Garage rock, Folk rock

Canção: Hey Jo / Site: https://www.thedistrictsband.com/

“Hey Jo”, é um sonho onírico em forma de canção, uma pérola pop perfeita do grupo da Pennsylvania, liderado por Rob Grote, que nos dá uma aula de como se faz um Indie folk rock sem cair na mesmice.

Os versos também fazem jus à canção, combinando cada clima e textura com rimas diretas e bem pessoais, na mais emotiva faixa do ótimo álbum “You Know I’m Not Going Anywhere” (2020).

Pra cantar junto e se deixar emocionar !!

The Heliocentrics
The Heliocentrics

The Heliocentrics

País / Cidade : Londres – Inglaterra / Estilo: Jazz Fusion, Space music, Artpop, Experimental

Canção: 99% Revolution / Site: https://theheliocentrics.bandcamp.com/

Eu realmente fiquei muito impressionado com os “The Heliocentrics”, banda liderada pelo baterista Malcolm Catto, e que havia feito fama acompanhando o mestre etíope Mulatu Astatke, e que surpreendeu o mundo com 2 lançamentos em 2020, ambos pelo selo do DJ Madlib (com quem também já colaboraram): Infinity of Now e Telemetric Sounds.

Infinity of Now é simplesmente genial, talvez o melhor disco de 2020, e capaz de deixar de quatro fãs de Portishead, Fela Kuti, Iron Butterfly e Siouxsie Sioux em uma só canção, como no caso da explosiva e inventiva “99% Revolution”.

Os caras são mestres em tornar orgânica uma sonoridade onde beats, cordas e guitarras cheias de fuzz espacial, convivem com o afrobeat e com a psicodelia sessentista em total harmonia. 

Confesso que quanto mais eu ouço mais eu gosto de tudo feito nesse inspirado álbum, com destaque para a brilhante cantora Barbora Patkova.

The Avalanches
The Avalanches

The Avalanches

País / Cidade : Melbourne – Austrália / Estilo: Dance, Disco, Electronic e Hip Hop

Canção: The Divine Chord (ft MGMT, Johnny Marr) / Site: http://theavalanches.com/

A dupla australiana é uma das maiores forças pop do planeta, e mesmo com lançamentos bissextos, conseguem ser um dos grupos mais adorados do planeta, e que conquistou o blog em 2016 com o sensacional álbum Wildflower.

Lançaram em dezembro o ótimo We Will Always Love You” (2020), repleto de colaborações como sempre, se destacando a presença de MGMT, Johnny Marr, Blood Orange, Leon Bridges, Perry Farrell, Mick Jones (The Clash), Tricky, Jamie xx e Neneh Cherry.  

Tenho pelo menos outras 3 ou 4 músicas que adoro no álbum, como “Running Red Lights”, “Wherever You Go”, “Reflecting Light” e “Intersterllar Love”, mas acabei escolhendo a mais solar de todas: “The Divine Chord”, sonzeira com presença do MGMT e do mestre Johnny Marr

Detalhe !! Essa é a 51a canção da lista de 50 !! Entrou no final e não tirou nenhuma outra da playlist… afinal 2020 foi tão estranho mesmo que… o que vale é ouvir musica boa 🙂 né !!

 

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.