Todos os sons da série “O mundo sombrio de Sabrina”

Destaque para as canções originais e sons de cada episódio da reencarnação da série Sabrina para o mundo da Netflix

O mundo sombrio de Sabrina

Em 2018 ainda nenhuma série havia me surpreendido pela qualidade e diversidade de sua trilha sonora, até a chegada da primeira temporada de Sabrina, produção da Netflix, que traz nossa famosa bruxa dos anos 60, lidando com as escolhas entre a própria mortalidade e a vida eterna.

O terror sobrenatural e o humor teen, ainda são a base de toda trama, desenvolvida por Roberto Aguirre-Sacasa, criador dos quadrinhos da Archie Horror, que desde 2014 vem ganhando cada vez mais adeptos, e que pilota a encarnação para as telas do mundo de Sabrina.

Mas original mesmo são os quadrinhos dos 60´s, que criaram um culto juvenil que chegou forte aos dias atuais.

O personagem Sabrina Spellman, foi criado pelo escritor George Gladir e pelo artista Dan DeCarlo, aparecendo pela primeira vez em 1962 na revista “Archie’s Madhouse #22”, com a mesma trama da série atual, onde a garota é uma “meia bruxa” órfã, criada pelas tias em Greendale, fruto de uma mãe mortal e um pai que era um líder do universo da bruxaria.

Não podemos esquecer de “Salem Saberhagen”, também bruxa e transformada em gata de estimação como punição por querer dominar o planeta.

Em cada episódio  vemos Sabrina tentando usar seus descontrolados poderes para “ajudar” os mortais à sua volta, gerando diversas situações terrivelmente divertidas.

A série aproveitou bem a época de Halloween, estreando em 26/Out//2018, e com ótima performance do elenco, onde se destacam Kiernan Shipka da série Madman como Sabrina, Ross Lynch como Harvey Kinkle e a australiana Miranda Otto, conhecida do público por “O Senhor dos Anéis”.   

O sucesso foi tão grande, que um episódio “extra” de Natal já está confirmado, com estreia para o dia 14 de dezembro, com os frequentadores da Igreja da Noite celebrando juntos a noite do Solstício de Inverno em clima 100% satanista.

A trilha sonora original foi composta pelo celebrado Adam Taylor (The Handmaid’s Tale)  que em estilo minimalista, conseguiu imprimir um traço retrô em diversas cenas, ajudando também em criar o clima certo para os momentos de magia e terror.

Fiquem com a lista e playlist com todas as canções por episódio da série

  • Trailer/Teaser – Happy Birthday, Sweet Sixteen – Neil Sedaka e Blood in the Cut – K. Flay
  • Capítulo um: É tempo de Halloween – Bad Moon Rising – Creedence Clearwater Revival, Magic Eyes – Billy Fury, Be My Baby –The Ronettes, I Put A Spell On You – Sylvia Gordon, Atomic – Blondie, Hurdy Gurdy Man – Donovan e Blue Motorbike – Moto Boy
  • Capítulo dois: Batismo das trevas – Devil Woman – Cliff Richard, Terrible Thing – AG, Strange Magic – Electric Light Orchestra, Full Moon Tonight – SILVASTONE, Monster Mash – Bobby “Boris” Pickett & The Crypt e Sixteen Candles – Stray Cats
  • Capítulo três: O julgamento de Sabrina Spellman – Wild Woman – Sleep Machine, Blood in the Cut – K. Flay, New Kind of Kick – The Cramps, Dead End – Kaviar Special, Macbeth: “Patria Oppressa!” – Coro Dell’Accademia Nazionale
  • Capítulo quatro: Academia de bruxas – Casting My Spell – The Pirates, Carnival of Souls – Gene Moore, Boo! – Bob Kelly & The Pikes, Black Magic Woman – VCTRY, Midnight Jazz – Nicolas Folmer e Witchcraft – Marvin Gaye
  • Capítulo cinco: Sonhos de bruxa – Dream a Little Dream of Me – Ozzie Nelson & His Orchestra, Dream a Little Dream of Me – Yiruma, Dream a Little Dream – Pink Martini & The Von Trapps, Wedding March – Richard Wagner e Dream a Little Dream of Me – Doris Day
  • Capítulo seis: Exorcismo em Greendale – Sold – Liily, Give Me A Chance – Selectracks,  Yes, I’m A Witch – Yoko Ono & The Brother Brothers e If I Had a Heart – Fever Ray
  • Capítulo sete: O ritual dos rituais – Venus in Furs – Solo Sounds e Criminal – Fiona Apple
  • Capítulo oito: O enterro (Sem canções)
  • Capítulo nove: De volta ao mundo dos vivos – The Girl With The Raven Hair – Jody Reynolds e Do-Re-Mi – Cast
  • Capítulo dez: A hora das bruxas – Midnight Serenade – David Lindup, Let Me Live/Let Me Die – Des Rocs e A Little Wicked – Valerie Broussard

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: