Hora de ouvir no volume máximo o álbum de estreia do Cigarettes After Sex

O Cigarettes After Sex é uma banda formada em 2008, eles lançaram o seu primeiro EP em 2012, intulado “I.” ele traz quatro canções, uma delas responsável por catapultar a banda no YouTube no final de 2015 – a sensacional Nothing’s Gonna Hurt You Baby.

Já em alta, lançou os EP´s: “Affection” (2015), “Keep On Loving You” (com cover do REO Speedwagon 2015) e “K.” (2016), aumentando ainda mais a expectativa para o primeiro álbum completo de inéditas da banda.

Poucas bandas soam tão perfeitamente bem em relação ao próprio nome quanto o Cigarettes After Sex, que com o lançamento do álbum homônimo, se consolidam como uma das bandas novas mais comentadas da atualidade, na esteira do sucesso de seus EPs que injetaram todo romance e sensualidade que a cena musical tanto precisava.

Cigarettes after Sex – álbum

O combo liderado por Greg Gonzalez conseguiu emular a sonoridade onírica de bandas dos 80´s com o sentimento de angústia e urgência de nossa era, num mix que vai dos oitentistas Cocteau Twins aos “atuais” Beach House e Alvvays, confirmando as expectativas em alta pela estréia do grupo.

Sem exageros, acredito que o grupo deve ocupar cada vez mais espaço na cena, com suas bases simples de bateria, baixo, teclados e guitarras, que executadas sem pressa, criam climas perfeitos para os vocais ora etéreos e ora sussurrados mesmo.

A voz de Gonzalez tem uma clareza e sofiticação que nos leva longe, indo bem além do reducionismo do “ambient pop”, até mesmo porque rótulos são tão redutores que podem nos impedir de conferir as texturas e delicadezas instrumentais diversas que os membros Philip Tubbs (guitarras e teclados), Jacob Tomsky (percussão) e Randy Muller (baixo) acrescentam às composições.

Destaque para “Sunsetz”, “Apocalypse”, “Flash” e “Time you fall in Love”, todas elegantes, quase tristes e certeiramente hipnóticas.

As letras ecoam uma ansiedade comum no “romance”, falando diretamente para quem valoriza tanto a experiência e a auto descoberta, como se percebe na intensidade presente em sons como “Truly” e “Sweet”.

Mas a canção que realmente me conquistou foi a inspirada “John Wayne” que tem refrão brilhante e até irônico ao citar o emblemático ator nos versos:

Baby, he’s got to be crazy, Living like he’s John Wayne
Always facing the world and chasing the girl
Baby, he’s got to be crazy

Baby, ele deve estar louco, Vivendo como se fosse John Wayne
Sempre encarando o mundo e atrás da garota
Baby, ele deve estar louco

Confiram o álbum na íntegra no Spotify – Cigarettes After Sex

Sobre o autor(a):
Testemunha ocular e sobrevivente dos anos 80, com vasta experiência como público pagante de shows e festivais, amante dos melhores sons e estilos. Nativo Digital e idealizador do Blog Vishows. Blogueiro Ativista, Podcaster, Educador Social, Empreendedor e Profissional de Marketing e Comércio Eletrônico.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: