20 sons para curtir dirigindo no Waze escutando o Spotify

Nossos colegas do Spotify Brasil pediram aos blogueiros do time “Creators” uma tempestade de posts para celebrar a integração da plataforma de música com o aplicativo de mapas e caminhos mais utilizado que é o Waze.

No Waze escutando o Spotify

O recurso vai ser lançado para usuários do sistema Android ao longo das próximas semanas, com ele, os motoristas poderão começar a navegar com o Waze dentro do Spotify, acessar suas playlists Spotify através do Waze e alternar facilmente entre aplicativos com um toque, integrando a condução do veículo e a audição dos sons preferidos.

Curtí, afinal por aqui na paulicéia ando muito de Taxi e afins mas 99% dos motoristas não pensam na música que está tocando, e muitas vezes cansa mesmo os programas apelativos de notícias, as rádio rocks pré históricas e o pop fabricado vomitado pela maioria das estações.

Assim, resolvi fazer uma seleção de sons que falam somente de estar ao volante ou em viagem, ajudando a inspirar motoristas e passageiros que curtem rock e pop rock a enfrentar os longos desafios de nosso louco trânsito.

ao vivo

Então preferi começar com “a melhor canção sobre congestionamentos de todos os tempos”, Crosstown Traffic de Jimi Hendrix, já que o som lançado no fim de 1968 tem todo balanço do funk rock e por isso mesmo nunca envelheceu e ficou perfeita décadas depois na versão dos Red Hot Chili Peppers.

Depois viajei até o Rock Latino resgatando o clássico Metro Balderas, sonzeira dos mexicanos do El Tri, que na canção preferem ir de carro, por qualquer caminho desde que não passe pela estação de metro, palco de uma desilusão amorosa.

Dave Lee Roth

A viagem roqueira então sai da cidade para a estrada, primeiro com Dave Lee Roth mandando bem em Tobacco Road som original de 1964 pelos The Nashville Teens, destaque de seu álbum Eat ‘Em and Smile onde brilhou o super guitar hero Steve Vai, e depois no Brasil com o “rei” Roberto Carlos em pleno anos 60, quando não era assim tão careta com a emblemática As curvas da estrada de Santos.

Já que vale o “rei”, valem os Beatles, e um dos sons da banda de Liverpool que fala de ruas, atrasos e caminhos é Blue Jay Way, nome real de uma rua da cidade de Los Angeles e que já foi motivo de post aqui no blog.

Mutantes

Assim nostálgico mesmo selecionei O Bom com Eduardo Araújo, aquela em que diz “meu carro é vermelho, não uso espelho prá me pentear…”, Rua Augusta com Os Mutantes (gravada originalmente em 1963 por Ronnie Cord), Paulicéia Desvairada dos vizinhos de Pompéia – Made in Brasil, e ainda dentro do rock dos 70´s a banda Joelho de Porco com Aeroporto de Congonhas.

Mas como a Rua Augusta não é mais a mesma, coloquei também a canção homônima do rapper Criolo, em versão ao vivo com o grande Emicida e que atualiza a curtição da “rua” para o século 21.

Lembrei é claro da segunda cidade em que mais me locomovo, e cheguei ao Rio de Janeiro com o samba cheio de swing Aquele Abraço, com o sempre genial baiano Gilberto Gil, mas também como o Rio dos 60´s não é mais aquele, deixei a antenada Fernanda Abreu colada em Gil com seu hit Rio 40 Graus, encerrando nossa viagem de Waze+Spotify nas terras cariocas.

Do Rio para Londres viajamos é claro ao som de London Calling sonzeira inspirada do The Clash, e na terra da Rainha também um pouco de história e orgulho britânico com os The Kinks e toda fina ironia de Waterloo Sunset encerrando nossa passagem na Grã Bretanha.

Buscando uma referência mais atual achei no mínimo engraçado colocar uma canção com o título de No Cars Go nessa playlist, mas como o Arcade Fire merece, ficou na seleção junto com a licença poética, e bem ao lado de Viva Las Vegas, single do “REI” Elvis Presley, num de seus filmes mais clássicos e automobilísticos.

Mas quem já saiu de carro de Las Vegas para o deserto profundo do Arizona e Utah, sacou a desolação do local, e curtir Bruce Springsteen na pungente Thunder Road nessa hora pode inspirar de verdade.

Prince

E agora que o gênio de Minneapolis está no Spotify, nada melhor que dar um rolê com Prince e seu clássico Little Red Corvette, som que em clima de festa pode gerar palminhas involuntárias se o trânsito estiver parado, mas se você for passageiro e estiver direto no celular, melhor se inspirar e pegar logo o número do recente crush ao som de Ariel Pink na emblemática Put your number in my phone.

Como grande homenagem ao blues e as encruzilhadas de todos roqueiros e da vida, achei melhor fechar a playlist com Robert Johnson, mestre eterno do blues com a versão original de Sweet Home Chicago.

Sobre o autor(a):
Testemunha ocular e sobrevivente dos anos 80, com vasta experiência como público pagante de shows e festivais, amante dos melhores sons e estilos. Nativo Digital e idealizador do Blog Vishows. Blogueiro Ativista, Podcaster, Educador Social, Empreendedor e Profissional de Marketing e Comércio Eletrônico.
  • Deixe uma resposta