Sobrevivendo a um show de Nick Cave num domingão cinza de Sampa em 2018

Nick Cave adere ao “Ele Não” em performance histórica nesse Domingo em São Paulo

Estamos num dos momentos mais loucos do Brasil de todos os tempos, e juro que mesmo amando a obra de Nick Cave, vê-lo nesse último domingo com os Bad Seeds em Sampa me parecia uma ideia perigosa, até porque nosso bardo gótico predileto emula tantas fortes emoções, que meu receio era entrar na segunda feira desanimado com os desafios da semana e com a escalada do fascismo nessas eleições de 2018.

 

Afinal, ainda existia o risco de cruzar algum bolsominion gótico sobrevivente do antigo Cais na Roosevelt, e que banhando num neo conservadorismo retrô, viesse espiar sua energia negativa justamente no show de Nick Cave.

 

O show foi uma catarse, e foi possível ver o cavernoso Cave e sua banda mandando quase toda coletânea “Lovely Creatures: The Best of Nick Cave and The Bad Seeds“, repleto de canções sobre amor, perversão, sexo, perda, solidão e religião, e que cobrem sua carreira desde 1984 até 2014.

 

O show também contou com sons do melancólico Skeleton Tree de 2016, valorizando sua incrível banda, que conseguiu com perfeição elevar suas baladas e rockões ao mais puro Art Rock.

Apesar do clima pesadão, Nick Cave surpreendeu a todos, tanto pela performance intensa e dedicada do cantor, quanto pela forma com que conseguiu exorcizar toda angústia própria e da audiência.

 

Toda sequencia de canções pareceu expiar as culpas e fracassos de todos, com uma presença de palco absurda que parece dissipar as loucuras de nossa modernidade.
Nesse contexto o “Ele Não” presente e abraçado por Cave em sua performance, conseguiu mostrar que podemos sim estar numa Bolha antifascista, cercada pelo ódio cego de uma maioria silenciosa, mas por outro lado nos deu o conforto para que juntos possamos lutar e resistir.

 

Nick Cave, antes do show, deixou bem claro que não era sua missão dar palpites sobre a política nacional, mas que também não aceitava o preconceito latente contra minorias. Seguramente foi mesmo a reação de fãs que em grande maioria o atiçaram para abraçar a causa antifascista, que fez o musico pedir uma prece para o Brasil, e que acabou levando o próprio cantor a se juntar com a audiência no repúdio ao retrocesso histórico que estamos vivendo.

A minoria pró Bozo (no show pelo menos), pouco se revoltou, mas nem isso fez com que o show perdesse intensidade ou fosse desviado para a cena política, pois a redenção, o amor, o sentimento de perda e o caos de nossa humanidade, foram a peça central dessa volta de Cave e os Bad Seeds ao Brasil, após quase 3 décadas de hiato.

 

Noite inspirada com Nick Cave em Sampa !! Volte Logo Nick !!!

 

Nick Cave em São Paulo

Fiquem com o setlist de Nick Cave & the Bad Seeds em Out/18 – São Paulo – Brasil
  • Jesus Alone
  • Magneto
  • Higgs Boson Blues
  • Do You Love Me?
  • From Her to Eternity
  • Loverman
  • Red Right Hand
  • Foi na cruz (Trecho)
  • The Ship Song
  • Into My Arms
  • Shoot Me Down
  • Girl in Amber
  • Tupelo
  • Jubilee Street
  • The Weeping Song (Ele não)
  • Stagger Lee (com público no palco)
  • Push the Sky Away (com público no palco)
  • Bis
  • City of Refuge
  • The Mercy Seat
  • Jack the Ripper
  • Rings of Saturn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: