Kurt Vile
Kurt Vile

Alternativos de todo mundo… justamente no ano em que Ryan Adams resolveu relaxar, se divertir e se encantar com a Taylor Swift, Kurt Vile chega com seu mais coeso e criativo álbum – “B’lieve i’m goin down”, o que não é pouco pois para superar todo frescor de Walking on a Prettt Daze (2013), Kurt Vile teve que ir além e buscar novas inspirações.

Confiram faixa por faixa nossa resenha sobre o novo álbum!

Pretty Pimpin – Sensacional levada AltRock com charme e clima de deserto, e os melhores versos de 2015, quando diz não se reconhecer no espelho e o rito cotidiano dos dias da semana. Som que abre de forma perfeita o álbum, apresentando Kurt tanto para quem já o conhecia, quanto para os novatos em Kurt Vile.

O vídeo também é incrível !! Confiram !!

Dust Bunnies  – Som que mantém em alta o clima do álbum mas já com uma melancolia de inverno, na mais existencialista e fatalista canção de Kurt.

 

Thats life,tho (almost hate to say) – 100% Folk na temática e nos versos, sem deixar de soar maldita na voz cavernosa ou nas verdades de cada estrofe. Nesse universo descartável da indústria da música, o cara tem canções de verdade e faz a diferença.

 

Wheelhouse – A balada alt.indie folk do ano, e que mesmo sem hype conquista os adeptos logo na lenta introdução e na melodia quase gospel. Cresce na aspereza do arranjo que joga você de volta à terra, no super mantra que fecha os 6 minutos da faixa.

 

Life Like This – Ponto alto de todo novo trabalho de Kurt Vile, começa com versos numa repetição sobre viver uma vida como a dele ou como outra qualquer, em arranjo brilhante com discreto piano e lirismo invejável. Perfeita viagem guitarrística e melhor síntese de todo novo trabalho.

 

O clipe dirigido por Adam Avilla, tem ótimas animações e representa perfeitmente todo clima da canção!

All In a daze Work – Bem onírica e californiana em cada referencia, se destaca do álbum por ser a mais folk e viajante do trabalho.

 

Lost my Head there – Com cara de single, mas com quase 7 minutos de pura psicodelia e poesia pop, em acordes perfeitos de piano e econômicas guitarras. Mais um som daqueles que marcam Kurt como um dos grandes compositores da atualidade.

 

Stand Inside – Voltando com tudo ao folk e suas raízes, Kurt mostra uma voz poderosa na busca de uma aura que ecoe todas referências. Lenha na fogueira !!

 

Bad Ommens – Clássica psicodelia roqueira numa viagem quase setentista e que faria bonito na trilha de qualquer ROAD movie clássico. Kurt Vile nessa faixa instrumental amarra todo disco para sua fase final. No mínimo marcante.

 

Kidding Around – A riquesa de acordes e passagens de violão mais que marcam “Kidding Around”, que ganha vida no finzinho com os corais e o bom gosto da produção.

 

Wild Imagination – Com levada eletrônica e violão discreto, a balada gótica e romântica fecha o trabalho de forma instigante, levando os ouvintes a imediatamente escolher uma das faixas para reouvir.  #Fato que Wild Imagination é das melhores canções do álbum.

 

[blue_box]Kurt Vile versão 2015 cumpre todas promessas e mostra a melhor combinação de autenticidade em cada som e verso do ótimo B’lieve I’m goin’ down, som que o blog mais que recomenda!![/blue_box]

 

O álbum está disponível para streaming em diversas plataformas online – confiram aqui!
Kurt Vile em Believe I´m Goin´Down
Kurt Vile em Believe I´m Goin´Down

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.