Melhores discos de 2014

É sempre um desafio pensar nos melhores discos de 2014, achei que ia ser difícil, mas quando listei mais de 20 álbuns de cabeça, e pensei em mais de 05 deles como melhor do ano, ví que teria que ir fundo nessa empreitada, e ao ouvir e re-ouvir tantos sons de primeira, constatei o quanto 2014 foi criativo e diverso em termos musicais.

Após longa deliberação, incluindo armações, brigas, rompimentos, pontos extras do editor e ações entre amigos, nossos colunistas montaram a definitiva lista dos melhores discos de 2014!! Confiram e opinem livremente!!
Melhores discos de 2014

Melhores discos de 2014

Jack White em Lazaretto

Lazaretto

1 – Jack White – Lazaretto

Pois é, Jack White é gênio, maluco beleza do rock 00’s fez disco autoral, resgatando memórias em sonoridades criativas e tentando ser conceitual com menos exageros que nas recentes aventuras discográficas. Pra curtir no máximo apesar do clima psicótico habitual. (Por Luis Otávio)

Sempre fico impressionado com o enorme talento de Jack White. Em seu segundo trabalho solo, Lazaretto, White mistura country music e rock no som de sua guitarra que parece ser uma extensão de seu próprio corpo. Difícil encontrar músico tão criativo como Jack White em sua geração. (Por Fernando do Valle)

2 – Manic Street Preachers – Futurology 

Futurology

Futurology

Os galeses do Manic Street Preachersfizeram o álbum perfeito mesmo após 20 anos de estrada, com gravações em Berlin e canções perfeitas. São atualmente mais representativos do que nunca pelo idealismo e personalidade que fazem da banda maior a cada álbum.

Sendo o destaque o caráter conceitual de Futurology, versando sobre o planeta e em especial o futuro europeu, num pós krautrock do século 21.

Vale por todas as faixas, perfeito para ouvir de ponta a ponta, sem esquecer de por no volume máximo, em especial quando tocar… Futurology, Europa, The Next Jet to Leave Moscow, Black Square e Divine Youth. (Luis Otávio)

Podemos dizer que é uma pequena obra prima do rock com cérebro!!

 3 – Interpol – El Pintor

O quinto álbum de estúdio da banda trouxe de volta a energia dos dois primeiros discos e renovou o Interpol, com músicas como All The Rage Back Home e My Desire. (Tania Seles)

Nos momentos mais calmos surgem as lindas Same Town e New Story, que mostram a real força da reconstrução da banda após o hiato dos últimos anos, mas é em My Blue Supreme e Everything is Wrong, que se mostram perfeitos envolvendo o ouvinte, em sua sonoridade sexy e instigante.

Sim “El Pintor” é sem dúvida o grande retorno da banda. (Luis Otávio)

4 – Clube do Balanço – Menina da Janela

Clube do Balanço

Clube do Balanço

Após 5 anos sem lançar um novo trabalho, Menina da Janela, o quarto disco da big band Clube do Balanço, segue no caminho do samba rock que faz até moribundo sacolejar, com o tradicional balanço, aliado a inspiradas composições.

Liderada pelo guitarrista e vocalista Marco Mattoli, a banda anima a noite paulistana desde o início dos anos 00. E vamos dançar já que ninguém é de ferro. (Fernando do Valle)

Viva o Samba Rock made in Sampa, que não é… e nem nunca foi o túmulo do Samba como dito pelos detratores. (Luis Otávio)

5 – Ryan Adams – Ryan Adams

Ryan Adams

Ryan Adams

O norte americano Ryan Adams, tem longa e representativa carreira, que desde o finado grupo de AltCountryRock – Whiskeytown, vem ganhando espaço no mundo do Rock e do Alt.Rock, por seu bom gosto, e singles inspirados que ajudam na construção de sua persona como um dos mais importantes compositores do estilo nesse novo milênio.

Com produção do próprio músico em seu estúdio particular,o PAX AM, encontra o cantor/guitarrista/compositor em seu universo natural, onde em sons especialmente pessoais, se mostra por inteiro, o que ajuda a explicar o uso do próprio nome para batizar o disco. (Luis Otávio)

6 – Nação Zumbi – Nação Zumbi

Nação Zumbi

Nação Zumbi

A melhor banda brasileira da atualidade mostra porque merece o posto. Simples assim. (Fernando do Valle)

Não é assim tão simples… pois ser unanimidade como banda há quase 20 anos no Brasil, traz para a galera da Nação Zumbi uma super responsabilidade, mas a boa notícia é que dessa vez inovaram com mais cor e melodia em todo disco.

Em versos como – “Não pense que você é o primeiro/ A pensar desse jeito/ Alguém já deve ter pensado igual/ Em algum outro lugar“ – os caras mostram força lírica e inspiração de sobra. (Luis Otávio)

 

7 – Foo Fighters – Sonic Highways

Foo Fighters

Foo Fighters

A banda conseguiu fazer um álbum enxuto e sem rodeios, com uma proposta interessante de gravar cada faixa em um estúdio diferente. O destaque fica para a canção Something From Nothing. (Tania Seles)

Eu tenho medo que o tempo destrua os Foo Fighters… , já estou numa fase em que o bom mocismo de Dave Grown chega a me cansar, só que tenho … mais uma vez…. que por qualquer preconceito de lado, pois o Phil Collins do Grunge, consegue mais uma vez fazer um álbum memorável, apesar de usar a mesma fórmula de sempre. (Luis Otávio)

8 – Calle 13 – MultiViral 

Calle 13

Calle 13

Eu percebo a cada ano que o Calle 13 é uma das bandas mais antenadas do planeta, e vem a cada disco se consolidando no cenário internacional, tanto pelas rimas, quanto pelas idéias e bom gosto musical. (Luis Otávio)

A dupla de irmãos “Residente” e “Visitante” formam o Calle 13, banda de Porto Rico, que mistura com maestria rap, rock e música de protesto. O aperitivo para o lançamento de Multi_Viral, realizado em março deste ano, tinha sido ofertado com o clipe da faixa-título com a participação de Tom Morello, guitarrista do Rage Against the Machine, e Julian Assange, ativista do Wikileaks, em novembro de 2013. Som de prima no embalo do próprio Rage e que segue a tradição da música política latina como Victor Jara e Violeta Parra. (Fernando do Valle)

9 – The Kooks – Listen

The Kooks

The Kooks

Se você nunca ouvir falar os Kooks, banda britânica cheia de hits originais e pegada pop, que não tem medo de arriscar e ser ora mais funk, ou folk e até mesmo roqueira e pesada.

Mas sempre com letras inteligentes, fizeram de Listen um disco tão bom que parece uma coletânea, com influências do soul, pop, funk e do rock setentista, criando grandes singles.

Destaque para o clipe e sonzeira de Bad Habit, e as preferidas We are Electric, It Was London, Westside, Down e Sun Rise – todos com cara de hit.

10 – The Smashing Pumpkins – Monuments To An Elegy 

The Smashing Pumpkins

The Smashing Pumpkins

O novo álbum de Billy Corgan, que dá continuidade ao projeto Teargarden By Kaleidoscope, só sai no dia 9 de dezembro, mas Billy já está soltando as faixas aos poucos e One and All, com a participação do baterista Tommy Lee (Mötley Crüe), até agora é um suspiro de renovação na longa trajetória da banda e dá vida nova ao rock do novo milênio. (Tania Seles)

Com os 90’s na moda, os Smashing Pumpkins tem a grande chance de voltar ao topo, fãs eles tem de sobra e o show no Lollapalooza 2015 será a chance de conferir ao vivo como anda a banda. (Luis Otávio)

 

Outros melhores discos de 2014 – Menção Honrosa para as seguintes bandas e artistas que também se destacaram com bons trabalhos em 2014 : Mogway, Peter Murphy, U2, Morrissey, Johnny Marr, Bruce Springsteen, Black Keys, Juçara Marçal, Raveonettes, War On Drugs, El Cuarteto de Nos, Criolo, John Frusciante, Pitty, Beck, Weezer, Lana Del Rey, United Nations, Foster The People, Rebecca Collins, Spoon e outros que lançaram ótimos discos…

image

Um comentário em Melhores discos de 2014

  1. Pingback: Vishows | Para quem gosta de ver e ouvir ao vivo Os 10 melhores álbuns de 2015 pelo blog Vi Shows

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: